sexta-feira, fevereiro 19, 2021

O que outrora fora exclusividade dos detentores de recursos, knowhow em programação e o acesso a tecnologias restritas, agora também está no...

19/02/2021 - Softwares livres

Nenhum comentário:
 

O que outrora fora exclusividade dos detentores de recursos, knowhow em programação e o acesso a tecnologias restritas, agora também está nos domínios de empresas e desenvolvedores - independentes - dispostos a levar a diante a criação de uma multiplicidade de softwares para as mais variadas aplicações. Doações e assinaturas opcionais permitem o acesso fácil ao usuário comum dentro dessa gama de possibilidades. Tendo à nossa disposição o que há de mais acessível e de nível comparável às grandes e populares ferramentas, podemos fazer uso de bons recursos dispensando gastos impraticáveis.

Os softwares livres dirigidos às aplicações do Desenho e à Arte digital já estão sob os holofotes e rodando em máquinas de um polo ao outro do mundo criativo. E com méritos, pois temos exemplares de produtos com grande qualidade a um download de distância. Não há erro, é só escolher e começar a usar. Do ano passado até o presente, testei algumas dessas maravilhas e resolvi colocar aqui a minha opinião sobre cada uma delas. Ressalto que são opiniões formuladas a partir de utilizações não tão profundas, porque certamente esses programas têm muito mais a oferecer e a ser explorado. São as ditas "primeiras impressões".

 

--
Medibang

Medibang e sua bela estrutura.
Começo com esse já dizendo que se fosse para escolher um dos três, eu não precisaria pensar muito. É um software muito bem feito, bem desenvolvido e com uma ótima interface.

Prós: Atalhos familiares. Fácil gerenciamento de layers. Bom controle de preenchimentos. Seleção fácil.
Contras: Só achei ruim não ser possível mover mais de um layer simultaneamente, mas dá para os reunir em uma pasta e resolver isso.
 

--
Fire Alpaca

Fira Alpaca para os Magazeiros!
Gostei bastante. É um daqueles softwares que são realmente direcionados para quem faz quadrinhos. Legal de usar e é um programa leve, com um desempenho de se admirar.

Prós: Gostei dos brushs, recursos de mangá, gerenciamento de layers e da estrutura da interface.
Contras: Não sei se já arrumaram isso, mas ele buga os preenchimentos de cores com seleção. Senti falta de ferramentas similares ao "Path" do Photoshop (o que não há em nenhum desses aqui listados).
 

--
Krita

Krita precisa melhorar, mas é legal.
Esse parece aqueles softwares que ainda estão sendo aperfeiçoados. Faltam detalhes, embora esteja indo muito bem. É bem estranho, não consegui concluir um desenho nele...

Prós: Pelo pouco que usei, achei bastante intuitivo.
Contras: Dificuldades em seleções, ruim para redimensionar objetos, falta de atalhos, a movimentação estranha e achei difícil o trabalho com os layers, não há como criar diretórios. A edição dos desenhos nesse programa... deixou a desejar. Talvez para lineart ele seja melhor.

--

Claro, acrescento que há outras opções de softwares livres rolando por aí e que podem ser utilizadas. Testei só esses três porque minha memória SSD está no limite. Quem estiver interessado, é testar e se adaptar. As opiniões podem ser variadas e de acordo com as preferências de cada um. E a escolha é algo pessoal, uma questão de se identificar e fazer a sua arte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário