sábado, novembro 07, 2020

Debruçado sobre minha prancheta, vez ou outra, acontece de surgir uma sensação de incômodo com alguns resultados. Há momentos em que me dist...

07/11/2020 - Linhas Sobrepostas Acidentais

Nenhum comentário:
 

Debruçado sobre minha prancheta, vez ou outra, acontece de surgir uma sensação de incômodo com alguns resultados. Há momentos em que me distancio, olho novamente o desenho, e topo com o problema. Não é um erro, mas um problema. Aceitar o erro é salutar, às vezes ele pode até ser mantido quando traz peculiaridades positivas ao trabalho. Nem sempre a sanidade precisa ser perseguida, mas sim o erro trazido junto ao vocabulário visual do artista.
Dungeon Meshi de Ryōko Kui
Também há o estranhamento. Os que fazem bom uso do estranhamento estão surfando o vagão, trajando um smoking. Ignorando o perigo de serem rotulados de maus artistas, só que com a classe de desafiar tudo o que vir, divertindo-se como poucos se permitem. (Nos Quadrinhos) isso de um desenho ser visto como  "bonito" ou "feio" deveria ter caído em desuso há tempos e ainda que muitos sejam rotulados como tendo o traço "feio" de maneira "positiva", penso que tal terminologia deva ser revisada.

Se o artista tem um traço virtuoso, detalhado, ou o que preferir, trata-se de vaidade e, também, pode ser apenas uma opção... Ao passo que um outro que opta por deformações e desproporções, também está seguindo a alternativa que melhor lhe caiba. O que seria do azul se todos gostassem do amarelo, não é? E acrescento ainda que, dependendo do que se quer comunicar, ampliar possibilidades é melhor que padronizações.
À esquerda Tiago Spyked - Requiem: Sinfonia dos Pecados,
à direita, Eudetenis: https://www.deviantart.com/eudetenis
Já o incomodo não é tolerável. Este incomodo, mérito do post e ao qual me refiro, é observável nos detalhes. Trata-se de um problema o qual identifico já há bastante tempo e que, por eu mesmo o cometer seguidas vezes, também acabo reparando em outras artes. O que chamo de "Linhas Sobrepostas Acidentais" é quando linhas de elementos distintos de um desenho convergem e confundem a composição. As imagens deste post ilustram bem o que quero dizer. O traço de uma perna se funde ao cenário, uma peça de vestuário se alinha ao tronco do personagem e assim por diante. Então temos um acidente de percurso que, sob meu ponto de vista, merece uma correção.
À esquerda jogo Arrow Flash, à direitta Xampu de Roger Cruz.
E as "Linhas Sobrepostas Acidentais" estão em toda parte, não fui eu quem as inventou, nem sei se este é o nome da coisa... Talvez até já tenha sido apontado em materiais didáticos destinados a artistas, ou observado em salas de aula. Eu nunca ouvi de outra pessoa. Mas já vi presente tanto em obras profissionais, quanto em trabalhos de artistas amadores, estudantes e etc. Sempre tento desviar desse incomodo para que meu trabalho não acabe sendo uma decepção (para mim mesmo).

Possivelmente somente eu me incomode com isso, bem como já foi observado antes... Também é possível que o leitor já tenha conhecimento, no entanto, achei que seria algo de alguma importância para compartilhar e levar a diante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário