segunda-feira, fevereiro 17, 2020

[Esse post é parte de uma série sobre o (meu) processo de fazer quadrinhos. Nele vou me ater, em linhas gerais, a como inicio uma pág...


[Esse post é parte de uma série sobre o (meu) processo de fazer quadrinhos. Nele vou me ater, em linhas gerais, a como inicio uma página e à parte técnica de tratamento de imagem.]

Em primeiro lugar, fazer quadrinhos pode ser um plano na vida profissional, ou também, uma iniciativa artística livre de pretensões maiores - a escolha pessoal depende do artista. Mas o que não se pode negar é a força criativa exigida por esse suporte e o quanto de tempo é necessário para praticá-lo. Caso exista uma certa inclinação a esse rigoroso processo de criação e o desejo por contar histórias, o autor irá valer-se do poder dos Quadrinhos e seus recursos, unindo imagens e textos para expressar ideias e conduzir narrativas.
Página teste de tempos. Está no meu DeviantART.

terça-feira, fevereiro 04, 2020

Minha devoção artística me surpreende, algumas vezes deixo a imaginação formar imagens demais. Parece que tudo está na seara das HQs e dos ...

Minha devoção artística me surpreende, algumas vezes deixo a imaginação formar imagens demais. Parece que tudo está na seara das HQs e dos Desenhos. É o meu jeito de processar informações na maioria dos casos... Lembro-me que há alguns anos, ao terminar o expediente em meu trabalho, eu caminhava para casa, como habitualmente costumo fazer. Ao chegar em uma esquina, cruzei com linda garota usando óculos, com um jeito tímido, levando uma grande pasta de desenhos sob o braço. Pensei: só pode ser desenhista! Mas não tive coragem de perguntar.

O restante de meu caminho foi imaginando como seria o dia a dia daquela moça, quais os seus hábitos, as suas produções. Cheguei em casa nesse embalo, sentei diante da minha mesa de desenho e esbocei no papel a figura que me impressionou naquela tarde. Era uma personagem que nascia. Chamei-a de Bianca ("branca" em italiano) e meus planos eram os de que ela seria uma cartunista em aventuras curtas dentro de um mundo cheio de imaginação.

Bianca pirando ao desenhar uma HQ de Terror.

sábado, fevereiro 01, 2020

A arte final utilizando pinceis sempre me encantou. Parecia-me uma acrobacia no que se referia ao desenho. Eu me perguntava como um sujeito...

A arte final utilizando pinceis sempre me encantou. Parecia-me uma acrobacia no que se referia ao desenho. Eu me perguntava como um sujeito atingia a maestria de aplicar o nanquim usando de um instrumento como tão místico, indomável. Ainda nos desenhos mais simplistas a sensação se repetia: o pincel transmitia beleza em suas linhas flexíveis, irregulares - claramente segredos profundos dos artistas mais graduados no ofício.

Somente eles poderiam desempenhar tal façanha? Pelo menos em minhas primeiras tentativas a impressão se manteve. Mas insistir sempre muda as coisas, a repetição ensina, ela afasta as folhagens da selva de receios diante de nós para enxergamos o caminho. Quando vi, já estava finalizando páginas de quadrinhos inteiras e ilustrações de maneira muito satisfatória usando o pincel. Não que eu já esteja pronto, vejo-me ainda como um aprendiz, contudo, acredito que posso passar alguma experiência a frente, o pouco do que sei sobre a ferramenta.
Algumas opções de produtos para começar a trabalhar.