segunda-feira, janeiro 06, 2020

Retomei um projeto iniciado na segunda metade do ano passado, o qual fora colocado de lado durante alguns meses por questões de prioridades...

06/01/2020 - Cenobites

Nenhum comentário:
 
Retomei um projeto iniciado na segunda metade do ano passado, o qual fora colocado de lado durante alguns meses por questões de prioridades. Intitulado "Cenobites", o desafio era o de realizar uma sequência de personagens inspirada na memorável obra "Hellraiser - Renascido do Inferno" do escritor e cineasta inglês Clive Barker.

A franquia Hellraiser - presente nos cinemas e no mercado de homevideo - foi cultuada nos anos 1990 pelos apreciadores do Terror em torno do mundo. O alcance foi tal que o seu universo expandiu-se também à Literatura, HQs e à Música. A obra originária trouxe à imaginação popular uma das criações mais brilhantes do universo do Terror: o Pinhead, com seus inúmeros pregos cravados em seu do crânio.

A estética Hellraiser já me era bastante familiar e comecei a desenhar apenas acessando minhas memórias, sem a necessidade de buscas por maiores referências. As caracterizações foram concebidas segundo a minha imaginação era acionada e elaboradas após alguns esboços preliminares. Trabalhei em nove criaturas com cuidados aos cortes do vestuário e mutilações. Todos os modelos resultaram de técnica digital combinadas a uma paleta de cores menor, variando em tons de cinzas para simular níveis de sombras.

Você nos chamou? Então terá que provar das angústias do inferno.

Acrescento que esse trabalho não teve um bom retorno, a sua execução não foi agradável, - com sinceridade, gostaria de não o ter começado. Ainda assim - para a conclusão das peças -, me dispus a redigir breves descrições a cada um dos cenobites e o fiz imaginando que o leitor tenha alguma ideia do universo que os envolve. Vamos a eles:

Kwife: Essa cenobite se perde em reflexões mórbidas sobre a tortura extrema de alma e corpo. Tem pensamentos poéticos, os quais partilha com suas vítimas enquanto faz suas incisões. Se inspira nas desilusões decorrentes de séculos seguidos sob a imolações e o terror.
Onehorn: Este elegante e vaidoso cavalheiro é um apreciador da loucura e também é um sommelier de desespero. Ele prima pela perfeição ao mutilar nervos, tendões e músculos, agindo com precisão para ter seus gostos refinados satisfeitos.

Jawler: Um brutamontes com instintos de carrasco implacável. Seu hábito é torturar de forma grosseira em longas sessões de espancamento, cortes e incisões. Esse carniceiro não mede suas forças ao descarnar corpos e almas humanas.
Neky: Essa diva pervertida do inferno carrega consigo uma grande lâmina afiada. Em poucos instantes, ela pode transformar o seu corpo e sua alma em uma amalgama indistinguível de bizarros restos mortais.
Nobrain: Ele teve o sistema nervoso central extraído. Por isso, não experimenta mais os sofrimentos e prazeres do inferno. Agindo por um primal instinto de destruição, é uma simples máquina de esquartejar e moer qualquer criatura que caia em suas mãos.
Clovence: Dois cenobites habitando o mesmo corpo, duas personalidades perversas e sofisticadamente cruéis e degeneradas. Esses demônios podem infringir fraturas, cortes e perfurações em dobro e só parar quando estiver duplamente saciado. 

Dr. Gore: Ao lado de Kwife, ele lidera a horda de cenobites. Ele respondeu aos chamados para o inferno desde o século dezoito, passando assim por transformações em sua indumentária, mantendo apenas as suas mutilações características. Dizem que ele já trabalhou ao lado do lendário cenobite Pinhead.
Slaughter: É um verdadeiro piadista, o zombador de suas vítimas. Com o sorriso cínico em seu rosto horroroso, não lhe faltam escárnio e demência. Costuma fazer suas vítimas ressuscitarem inúmeras de vezes para torturá-las novamente até a morte.
Mitra: Não existe redenção de pecados ou perdão a esse velho e monástico cenobite. Adepto de métodos ortodoxos de torturas e cirurgias, ele arranca as confissões mais sinceras de suas vítimas extenuadas por longas sessões de flagelos e desmembramentos. Iniciou a sua vida como cenobite na idade média.

Nenhum comentário:

Postar um comentário