segunda-feira, julho 15, 2019

No último domingo, dia seguinte ao jantar de aniversário de minha mãe - comemorado pela família em Araranguá, cidade vizinha -, o frio volt...

No último domingo, dia seguinte ao jantar de aniversário de minha mãe - comemorado pela família em Araranguá, cidade vizinha -, o frio voltara após uma breve trégua e a garoa já engrossava às dez horas da manhã. Na portaria de meu prédio, eu trocava palavras com uma moradora vizinha que eu acabara de conhecer, enquanto aguardava a chegada de meu irmão e sua carona.

Com a posse da minha bagagem, tomamos a estrada rumo aos portões da faculdade SATC, no bairro Pinheirinho. Mal chegamos e já avistávamos uma extensa fila formada por um grande público - vindo de Criciúma e de todo o perímetro urbano próximo - cruzando os acessos de entrada. Estávamos no maior evento de cultura pop do Sul de Santa Catarina: o Tanuki World Fest.

Mega estrutura muito apropriada para eventos dessa grandeza.

segunda-feira, julho 01, 2019

Quando não está no campeonato, o jogador bate a sua bola, treina pênalti, faz embaixadinhas. Ou seja, entretém-se com sua ferramenta - só ...

Quando não está no campeonato, o jogador bate a sua bola, treina pênalti, faz embaixadinhas.
Ou seja, entretém-se com sua ferramenta - só ele e ela: o jogador e a sua paixão. Há dois brinquedos que nos são apresentados logo no início da vida que independem de explicações: a bola e o lápis.

Se o caminho do lápis agradar mais, não é do referido jogador que falamos, mas sim do artista/desenhista - mesmo o amante da arte por hobby ou diversão -, que pratica entre uma obra e outra com o seu brinquedo mais divertido: o sketchbook.
 
Uns pela metade, outros terminados. Todos muito divertidos.